Conclusões da PodPesquisa, Parte 1: Demografia

No dia 18 de Junho saiu o resultado da PodPesquisa, a maior pesquisa nacional sobre o perfil dos assinantes brasileiros de Podcast. Foram 45 dias de pesquisa coletando dados de 436 assinantes diferentes, a divulgação foi feita por alguns podcasters pedindo aos assinantes que preenchessem o formulário de 35 questões. Essa foi um projeto da ABPod (Associação Brasileira de Podcasters).

A partir de hoje eu estou escrevendo artigos com conclusões baseadas nos números da PodPesquisa, com comentários separados por temas: Demografia, Comportamento, Vontades e Publicidade.

Demografia

Sexo (Q-26): Eu já esperava uma maioria masculina, mas nada comparado com isso: 90,9%! …conta apenas 9,1% de mulheres. Parte disso pode ser explicado pelo conteúdo dos podcasts atuais e parte simplesmente não tem explicação. Eu cheguei a pensar que havia algum vício de amostragem, mas como outros dados batem com a distribuição esperada eu não tenho escolha senão validar esse resultado. Mesmo existindo bastante podcasts apresentados por mulheres e alguns até dedicados ao universo feminino, a audiência não é tão representativa quanto a masculina.

Idade (Q-27): Basicamente jovens adultos, concentrando-se entre 18 e 35 anos (80,6% somados). O me chamou a atenção foi a quantidade baixa de menores de 18 anos (7,4%); eu aponto 2 motivos importantes pra isso: conteúdo e acesso (nem todas as crianças e adolescentes têm meios de assinar um podcast, mesmo tendo um computador na família). Os maiores de 45 anos também não possuem uma parcela significativa (1,9%).

Estado Civil (Q-28): Mais uma surpresa do resultado: o total de solteiros (64,5%) é um pouco alto se comparado à distribuição de idade. A população brasileira como um todo já vem sentido o fenômeno de casamentos com mais idade, e a audiência de podcast também reflete isso, talvez um pouco mais destacado por causa do alto nível de escolaridade e distribuição regional. Os casados e com união estável somam 33,9%.

Escolaridade (Q-29): Mais da metade tem curso superior (58,2%), e se somarmos os que possuem pós-graduação (19,1%) temos um total de 77,3% (sobre as respostas informadas). Os níveis secundário e técnico juntos respondem por 21,8%, e os primários são minoria: 0.8%. Isso confirma as suspeitas: Podcast é mesmo uma mídia intelectualmente elitista! Uma proporção tão educada como essa não é encontrada nem em países de primeiro mundo! Eu pessoalmente gostaria de ver uma melhor distribuição, mas enquanto não tivermos uma Inclusão Digital de verdade no Brasil isso não vai mudar.

Renda (Q-34): Apesar da renda avaliada estar um pouco acima da distribuição nacional, não chega a ser tão dissonante quanto a escolaridade. Na verdade, no ponto de vista da renda o Podcast é uma mídia relativamente inclusiva, até as pessoas que ganham menos de R$500 mensais (9,3%) estão aptos a assinar. Em outra comparação entre renda e escolaridade é justo deduzir que temos um problema de usabilidade: assinar um Podcast não é uma rotina trivial, e requer um certo nível de conhecimento.

Área Profissional (Q-31): As pessoas que trabalham diretamente com Internet, TI e demais áreas de tecnologia respondem pela pesada maioria da audiência (52,7%). Esses valores reforçam a questão da usabilidade. Quem argumentar que é uma mera questão de contato compare com áreas como Publicidade (6,7%) e Jornalismo (<3%, listado em “Outros”), que também passam bastante tempo em contato com a Internet, mas elas nem se comparam com Tecnologia.

Região (Q-33): Como era de se esperar os estados da região Sudeste concentram mais assinantes (66,1%), sendo que destes pouco mais da metade estão no estado de São Paulo (que sozinho atende por 38,0%). A região Sul vem logo atrás, com 16,7%, e com distribuição equilibrada entre os estados. Na região Nordeste (7,8%) os estados que se destacam são Bahia e Pernambuco. No Centro-Oeste (7,2%) o Distrito Federal é o estado de maior audiência. E infelizmente a Região Norte corresponde por apenas 2,2% to total.

Ainda sobre a região, os assinantes que moram no Brasil são a maioria, mas uma pequena porcentagem (maior que de alguns estados aliás…) reside no Exterior:

Isso conclui o estudo demográfico dos resultados da PodPesquisa, continue acompanhando os artigos dessa série para análises de outros tópicos extraídos dos resultados.